• Players
  • ·
  • Bios
  • ·
  • Entretanto
Tomás Baltazarmas suficientemente despreocupadomas suficientemente despreocupado
Rita Beniscom a minha mortecom a minha morte
Luís Brásdestes dois estados,destes dois estados,
Carla Cabanaspodemos esperarpodemos esperar
Sara Caixinhascomecemos apesar dissocomecemos apesar disso
Graça Castanheiracerto de não conseguir,certo de não conseguir,
Philippe Costantinique não o sãoque não o são
Jorge Cramez
& Tomé Pereira
que se estende a gerações;que se estende a gerações;
Carolina Diasse desenvolve com uma regularidadese desenvolve com uma regularidade
Maria Clara Escobaraparentemente tão contraditórios,aparentemente tão contraditórios,
Marcelo Felixque os mistériosque os mistérios
Joana Ferreirapor registarpor registar
José Nuno LamasCreio na resolução futuraCreio na resolução futura
Tatiana Macedoa um exame metódico,a um exame metódico,
Isabel Machadode surrealidade,de surrealidade,
Susanne Malorny(e isto supõe uma disciplina da memória(e isto supõe uma disciplina da memória
Nathalie Mansouxem que, por meios a determinar,em que, por meios a determinar,
Sofia Marqueso sonho e a realidade,o sonho e a realidade,
Isabel Dias Martins
& Israel Pimenta
se assim se pode dizer.se assim se pode dizer.
André Gil Mataconseguimos apreender o sonhoconseguimos apreender o sonho
Marta MateusParto à sua conquista,Parto à sua conquista,
Ana Moreiraem que a sua curvaem que a sua curva
Leonor Noivoe uma amplidão sem igual,e uma amplidão sem igual,
Inês Oliveirapara não suportar um pouco
as alegrias de tal posse.
para não suportar um pouco
as alegrias de tal posse.
Filipe Pintoirão dar lugar ao grande Mistério.irão dar lugar ao grande Mistério.
Christine Reehos factos marcantes),os factos marcantes),
Takashi Sugimotona sua integridadena sua integridade
Miguel Clara Vasconcelos… a partir do instante em que for submetido… a partir do instante em que for submetido
Jeanne Waltznuma espécie de realidade absoluta,numa espécie de realidade absoluta,

Tomás BaltazarTomás Baltazar possui uma licenciatura em Som e Imagem pela Universidade Católica do Porto, uma pós-graduação em Edição de Cinema e Televisão pela Escola de Cinema e Televisão Septima Ars de Madrid, tendo ainda frequentado o Cumbria Institute of the Arts, em Carlisle, Reino Unido. A sua segunda curta-metragem, “Descalço” (2010) estreou no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira, onde venceu o prémio “Onda Curta RTP2”.Com uma já longa carreira em montagem , montou cerca de 40 filmes desde 2005, entre longas, curtas, documentários e ficção de realizadores como Edgar Pêra, Rodrigo Areias, Miguel Clara Vasconcelos, Raquel Freire, Aya Koretzky, André Gil Mata, João Trabulo, Sofia Marques, Albano Silva Pereira, Júlio Alves ou Jorge Quintela. Estes filmes foram exibidos e premiados em festivais como Doclisboa, Indie, Roterdão, Visons du Réel, Rio de Janeiro, São Paulo, Chicago, Cinesul, Guadalajara, Sevilha, Vila do Conde, Fantasporto ou Documenta Madrid. Desde 2013 colabora com o festival Doclisboa, apresentação de sessões e edição de spots promocionais. Em 2014 também colaborou, como membro da equipa de programação da competição internacional do Doclisboa 14.

Rita BenisRita Benis nasceu no Porto e vive actualmente em Lisboa. Trabalha em cinema, desde 2000, como assistente de realização e argumentista - colaborou, entre outros, com Teresa Villaverde, António Cunha Telles, Vincent Gallo e Catherine Breillat. Está a terminar um doutoramento dedicado ao estudo dos argumentos de Manoel de Oliveira e João César Monteiro. Fez vídeo instalação para o espaço Frágil (Espectáculos Frágil Poesia) e tem dois documentários em processo de montagem.

Luís BrásLuís Brás nasceu em Lisboa em 1978. Completou o curso de cinema da Escola Superior de Cinema em 2001. Após várias pós graduações e um mestrado, é Doutorando em ciências da comunicação - cinema na UNL-FCSH. Realizou várias curtas metragens e documentários, que foram exibidos em diversos festivais internacionais. Em 2013 estreou a sua primeira longa-metragem, "Lura". 

Carla CabanasCarla Cabanas nasceu em Lisboa em 1979. É licenciada em Artes Plásticas pela ESAD-CR (2003), concluiu o curso da Escola Maumaus (2004) e frequentou o curso de fotografia do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística (2008). Concluiu uma Pós-graduação em Produção e Criação em Artes Tecnológicas na Universidade Lusófona (2009). Ganhou uma Menção Honrosa no Prémio de Fotografia Purificacion Garcia (2012) e o terceiro prémio de Pintura Ariane de Rothschild (2005). E recebeu uma Bolsa do Programa INOV-Art para residir na Belgica (2010/2011). Participou em várias residências artisticas (2009-2014). Expõe regularmente desde 2000.

Sara CaixinhasSara Caixinhas nasceu em Lisboa em 1976. Desde 2008, cordena financeiramente os projectos e é assistente de produção na C.R.I.M. Estudou Cinema, na Escola Superior de Teatro e Cinema, ESTC, especialização em Produção (1994-1997). Tem 15 anos de experiência em produção, e trabalhou em projetos de cinema e televisão, como assistente de produção e / ou contabilista de produção, para filmes, programas de televisão e publicidade. Foi também coordenadora de produção num canal de televisão entre 2002 e 2007.

Graça CastanheiraRealizadora de documentários, foi distinguida com inúmeros prémios ao longo da sua carreira. Formou-se em Cinema em 1989 na Escola Superior de Teatro e Cinema, onde é actualmente professora de Cinema Documental e de Práticas de Realização. Tem igualmente a seu cargo o ensino de Documentário na Restart, Instituto de Criatividade, Artes e Novas Tecnologias. Desenvolve um projecto de doutoramento em Artes na Área das Artes Performativas e da Imagem em Movimento. Fez parte do grupo fundador da Apordoc - Associação pelo Documentário que promove o festival DocLisboa. Criou em 2008 a sua própria empresa de produção e pós-produção - Pop Filmes. Trabalha regularmente como operadora de câmara, montadora e colorista.

Philippe CostantiniCineasta francês independente, envolvido em filmes documentários e ficções. Depois de estudar sociologia e antropologia, começou a trabalhar como cameraman e realizou os seus primeiros documentaries em Portugal, e mais tarde em França, África e um pouco por todo o mundo. Os seus filmes procuram envolver as personagens na história pelo que investe muito tempo com elas antes das filmagens. Encontra-se neste momento a editar um projecto filmado em Lisboa ao longo de mais de um ano. Prepara-se para voltar ao Norte de Portugal para continuar uma crónica (um 4º filme) sobre a mesma aldeia onde começou a filmar há 40 anos.

Jorge Cramez & Tomé PereiraJorge Cramez nasceu em Angola a 23 de Abril de 1963 e licenciou-se em Comunicação Social no ano de 1988. No ano seguinte estagiou 6 meses na Cinemateca Portuguesa. Entre 1991 e 1994 frequenta e acaba o Curso de Cinema na área de montagem da Escola Superior de Teatro e Cinema. Trabalhou como anotador e assistente de realização de realizadores como Teresa Villaverde, João César Monteiro, João Botelho, Jorge Silva Melo, José Álvaro Morais, Joaquim Leitão, João Mário Grilo, Fernando Lopes, Werner Schroeter, Catarina Ruivo e Miguel Gomes, entre muitos outros. Realizou nove curtas-metragens presentes em festivais de cinema e premiadas: “Desvio” (1994), co-realizado com Paulo Belém,; “Para Matar o Tempo” (1996); “Erros Meus” (2000); “Venus Velvet” (2001), “Nunca Estou onde Pensas que Estou” (2003); “X” (2009); “Na Escola” (2010); “Feliz Aniversário” (2011); “Até Quando” (2012); “Um Dia Perfeito” (2014), “O Rebocador” (2014) e a longa-metragem “O Capacete Dourado” (2007) – presente na Competição Internacional Oficial do Festival de Locarno em 2007. Em 2001 recebe o prémio IPAE / Ministério da Cultura – Ribeiro da Fonte: jovem revelação, pela realização do filme complementar da peça de teatro adaptada do livro Regras da Atracção, de Bret Easton Ellis, encenada por Manuel Wiborg e apresentada na Culturgest. Actualmente é professor da disciplina Linguagem e Narrativa para Cinema e Vídeo, na Universidade Lusófona de Lisboa e professor da disciplina História dos Audiovisuais, na RESTART. Tomé Pereira nasceu em Lisboa a 16 de Julho de 1993 e concluiu o ensino secundário na Escola Artística António Arroio em 2011. No mesmo ano participou numa exposição colectiva na Casa Viva, no Porto. Em 2012 frequentou o curso de pintura da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e em 2013, o curso artes do espectáculo, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Em 2014, foi estagiário de produção na curta-metragem “O Rebocador” de Jorge Cramez.

Carolina DiasRio de Janeiro, 1975. Formada em Comunicação Visual e Mestre em Artes Plásticas. Trabalha desde 2001 como produtora e diretora audiovisual. Com experiência no Brasil, Portugal e França, dirigiu os documentários: “O regresso de Cosme” (26min, 2013), “Far From Home Movie” (78 min, 2012) junto com José Barahona, e “Tarde Dançante” (54min, 2004) e “2700km” (38min, 2001) junto com Monica Araújo. No momento, produz os longas de ficção: "Estive em Lisboa e lembrei de você" de José Barahona e "Seara de Vento" de Sérgio Tréfaut (co-produção Portugal/Brasil).

Maria Clara EscobarMaria Clara é uma roteirista e diretora que ganhou diversos prêmios com seu primeiro longa documentário “Os Dias Com Ele”, em festivais como Festival de Havana, DocLisboa e Tiradentes. O filme foi lançado comercialmente em 18 cidades do Brasil. Ela também dirigiu documentários curtos para o canal de TV Futura e foi co-roteirista e diretora assistente do filme “Histórias Que Só Existem Quando Lembradas” - ganhador de mais de 30 prêmios e lançados em 5 países ao redor do mundo. Agora, Maria Clara está desenvolvendo os seus projetos Desterro, premiado para desenvolvimento pelo Ibermedia e “Casas Partidas” seu segundo documentário. 

Marcelo FelixMarcelo Felix. Cineasta, realizador de “A Arca do Éden” (2011) e “Flor e Eclipse” (2013). Vive e trabalha em Lisboa.

Joana FerreiraJoana Ferreira nasceu em Lisboa em 1973. Estudou Antropologia na Universidade Nova de Lisboa. Trabalha no desenvolvimento, direcção de produção e financiamento de longas-metragens de ficção desde 1998. Trabalhou como directora de produção e directora de projectos na Madragoa filmes durante sete anos colaborando em longas metragens de ficção de prestígio com inúmeros realizadores, de que se destacam Manoel de Oliveira, João César Monteiro, Raoul Ruiz, Paulo Rocha, João Botelho and Joaquim Pinto. É uma das sócias fundadoras e produtoras da C.R.I.M. responsável pelo desenvolvimento, produção, distribuição e promoção de documentários e ficção bem como projectos de artes visuais.

José Nuno LamasJosé Nuno Lamas (Lisboa, 1975) licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa. Terminou em 2005, como bolseiro da Kodak, o Curso Avançado de Fotografia no Ar.Co - Centro de Arte a Comunicação Visual. Em 2008 concluíu o 2º Curso de Fotografia do Programa "Criatividade e Formação Artística" na Fundação Calouste Gulbenkian. Em 2009 participou no MobileHome, Curso Experimental de Arte Contemporânea. Foi seleccionado para a Plat(t)form 10 pelo Fotomuseum de Winterthur (Suiça), em 2010. Trabalhou em dupla com Valter Ventura entre 2004 e 2012 tendo participado em várias exposições colectivas e individuais.

Tatiana MacedoTatiana Macedo trabalha maioritariamente com fotografia e cinema experimental na sua forma expandida. Mestrado em Antropologia Visual pela FCSH – Universidade Nova e Lisboa e Licenciatura em Fine Arts pela Central St Martins College of Art & Design. Tem mostrado o seu trabalho em fotografia, cinema e instalação vídeo a nível internacional e a sua obra está representada em coleções nacionais e internacionais. Trabalha regularmente entre Lisboa, Londres e Amesterdão.

Isabel MachadoIsabel Machado nasceu em Lisboa em 1974. Licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Estudou Artes Visuais na Escola Maumaus. Completou os programas de Formação Avançada em Produção de Filmes EAVE 2005 e EURODOC 2008. Frequenta actualmente o Doutoramento em Artes Performativas e da Imagem em Movimento da Universidade de Lisboa. Fundou em 2001 com Christine Reeh o agrupamento europeu ASTERISK e em 2005 com Christine Reeh e Joana Ferreira a empresa C.R.I.M. onde trabalha actualmente como produtora de filmes e projectos artísticos.

Susanne MalornySusanne Malorny tem um Mestrado em Media Studies das Universidades de Artes e Tecnologia de Braunschweig na Alemanha (2008) e uma pós-graduação em Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa (2013). Desde 2009 integra a equipa permanente da produtora C.R.I.M. onde trabalha em produção, realização e montagem e responsável pela circulação dos filmes no circuito de festivais. Os seus documentários "Santa Maria dos Olivais" e "Coisa de Alguém" passaram em vários festivais nacionais e internacionais.

Nathalie MansouxNathalie Mansoux nasceu em Paris em 1974. É licenciada em Antropologia. Em 2001, co-realizou "De Paso por Juchitán" sobre uma comunidade reivindicativa do Sudeste mexicano. Entre 2005 e 2008, realizou e produziu "Via de Acesso" sobre a demolição de um bairro da periferia de Lisboa. Entre 2008 e 2012, realizou "Deportado", sobre emigrantes açorianos obrigados a regressar à sua terra natal.

Sofia MarquesSofia Marques concluiu o curso de formação de actores da Escola Profissional de Teatro de Cascais. Trabalha regularmente com o Teatro da Cornucópia (Lisboa) desde 1996. Tem colaborado, igualmente, com outros projectos e companhias e, ao longo da sua carreira de actriz, participou em peças de autores como Heiner Muller, August Strindberg, Frederico Garcia Lorca, William Shakespeare, Friederich Holderlin, Rainer Werner Fassbinder, Arthur Schnitzler, Jean Genet, Anton Tchekov, Luís Buñuel, Henrik Ibsen, Georg Büchner, entre muitos outros. Foi intérprete em várias longas e curtas-metragens, tendo trabalhado com os realizadores Jean Claude Biette, João César Monteiro, Raquel Freire, Ivo Ferreira, Lorenzo Bianchini, Inês Oliveira, João Botelho, Christine Laurent, Carlos Braga, Jacinto Lucas Pires, Ricardo Aibéo, Francisco Villa-Lobos, José Maria Vaz da Silva, Bruno Lourenço, João Constâncio, Miguel Aguiar e Vítor Alves. Realizou e os filmes documentários “Vê-los assim tão pertinho” (2010), “8816 versos” (2013) e "Ilusão" (2014).

Isabel Dias Martins & Israel PimentaIsabel Dias Martins nasceu no Porto em 1976. Vive entre duas margens e dois rios. Trabalha com diversos realizadores em produção e som em cinema desde 2006. Israel Pimenta nasceu em Oliveira de Azeméis (PT 1972). Estudou Pintura na Faculdade de Belas Artes do Porto (FBAUP). Vive e trabalha no Porto, inclui na sua prática artística, pintura, desenho, vídeo e instalação. Exposições individuais: "Uma linha tem dois lados" Galeria Nuno Centeno, 2010, "Debaixo de Cinza", Caroline Paigés, 2009; "Patera Travels", Apêndice, 2008; "Most things haven't work out", Galeria Reflexus, 2007.

André Gil MataAndré Gil Mata estudou matemática e trabalhou em fotografia e teatro. “Arca d'Água”, o seu primeiro filme como realizador, venceu vários prémios e foi mostrado em vários festivais internacionais. “Casa” a sua segunda curta-metragem estreou no IndieLisboa‘01. “O Coveiro”(2013), a sua terceira curta-metragem venceu o Mèlies d'Argent 2013, entre outros prémios. “Cativeiro”, a sua primeira longa-metragem venceu, entre outros, o DocAlliance Award (Cannes 2013), e teve estreia comercial em Portugal em 2014. Gil Mata terminou o seu mestrado em realização em 2012(ESTC-LISBOA), e encontra-se a terminar o doutoramento na mesma área na film.factory(Sarajevo). Filmografia: “Cativeiro” (2012), “O Coveiro” (2013), “Casa” (2010), “Arca d’Água” (2009).

Marta MateusMarta Mateus nasceu em Estremoz em 1984. Estudou Filosofia na Universidade Nova de Lisboa. Estuda Desenho e Fotografia no AR.CO e Música na Escola do Hot Club. Trabalha como actriz nos filmes “Odete” de João Pedro Rodrigues, "A Zona” de Sandro Aguillar, “Cinerama” de Inês Oliveira e "Nuit Chien” de Werner Schroeter, entre outros.

Ana MoreiraDesde 1998 Ana Moreira desenvolve trabalho com realizadores como Teresa Villaverde, João Botelho, Jorge Cramez, Eugène Green, Gabriel Abrantes, Miguel Gomes e Salomé Lamas. Foi premiada como melhor atriz nos filmes “Os Mutantes”, “Transe” e “Adriana” em diversos festivais de cinema. Também colaborou como membro do júri no Festivais de Cinema de Locarno, Vila do Conde, de Sofia entre outros. Além de trabalhar com outras companhias teatrais, foi co-fundadora da companhia Voz Humana e co-encenadora. Neste momento encontra-se a fazer mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas na Faculdade de Belas Artes do Porto.

Leonor NoivoLeonor Noivo estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema entre 1997 e 2000. Fez o Curso de Documentários dos Ateliers Varan na F.C.Gulbenkian em 2006. Desde 1999 é anotadora e assistente de realização em filmes de ficção e documentários tendo trabalhado com diversos realizadores. É co-fundadora da produtora de cinema TERRATREME, plataforma de cineastas criada em 2009. Filmografia: “Macau Aparte” (2001), “Salitre” (2005), “InsideOut” (2005), “Assembleia” (2006), “Airporto” (2006), “Excursão” (2007), “Santos dos Últimos Dias” (2009), “EB 26” (2009), “Outras Cartas ou o Amor Inventado” (2012), “A Cidade e o Sol” (2012). “Abismo” (em pós-produção, para 2015)

Inês OliveiraInês Oliveira nasceu em Lisboa em 1976. Estudou Artes Plásticas (Ar.Co) e Cinema (ESTC). Fez o curso de Videoarte na Fundação Gulbenkian. Actualmente é aluna de mestrado em cinema (FCSH). Trabalhou na área de som e como assistente de realização. Começou a realizar em 2003, estreando-se com a multipremiada curta-metragem “O Nome e o N.I.M. / Names And Numbers”. Em 2005 realizou o documentário “Comer o Coração de Rui Chafes e Vera Mantero”. Em 2009 realizou a sua primeira longa metragem, “Cinerama”. “Bobô” é a sua segunda longa metragem.

Filipe PintoFilipe Pinto licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Possui um mestrado em Filosofia – Estética pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Faculdade Nova, onde é actualmente doutorando. Co-organizou o seminário EPEA – Estética e Política entre as Artes (2012, 2013 e 2014: www.epea2014.weebly.com) e a Conferência Internacional Philosophy and Film (www.philosophyfilmlisbon.net); é artista e escreve sobre arte. Publicou ensaios, recensões e projectos nas revistas Artecapital, Imprópria, Intervalo, ESC:ALA e Cinema.

Christine ReehChristine Reeh nasceu em Frankfurt / Main, em 1974 e reside desde 1996 em Lisboa, e actualmente também em Karlsruhe, Alemanha. Após a licenciatura na Escola de Cinema ESTC (2002) Christine fundou sua própria empresa de produção de filmes C.R.I.M. em Lisboa e trabalha desde então como realizadora e produtora de cinema. Actualmente, é bolseira da FCT para desenvolver o seu projecto de doutoramento "O Sistema Solarístico". Como cineasta Christine encontra-se neste momento a terminar o seu filme "As Crónicas de Polyaris".

Takashi SugimotoRealizador. Actualmente está fazer o mestrado em realização e dramaturgia na Escola Superior de Teatro e Cinema. 

Miguel Clara VasconcelosRealizador e escritor português, várias vezes premiado, vive em Lisboa. Mestrado em Estudos Cinematográficos, na Sorbonne Nouvelle, Paris 2012. Estudou Línguas e Literaturas Clássicas e Portuguesa nas Universidades de Lisboa e de Coimbra, 1996-2000. Em 2014, o seu filme, "Triângulo Dourado" recebeu o prémio de Melhor Filme no 22º Curtas - Festival Internacional e será exibido no 44th Rotterdam International Film Festival.

Jeanne WaltzNasce em Agosto de 1962, morre em Maio de 2037. Cedo aprende a cozinhar para não ter de lavar a loiça; tarda a animar imagens.

Crime Solúvel

Faz parte do trabalho quotidiano de sonhar acordado e lutar sem tréguas uma aprendizagem constante. Da ideia imaginada ao objecto visível, os rituais de criação dos filmes são um pedaço da vida de cada um.

Pois então, quisemos experimentar o horizonte cúmplice de um trabalho colectivo. Talvez precisássemos de espreitar a estranha poesia que se libertaria ao juntar este grupo para cometer o crime de filmar. E ainda assim afirmar que, de um modo misterioso para a nossa razão mas totalmente previsível para os nossos instintos, todos estes universos pessoais tinham vontade de se fundir num diálogo cego, de articular uma montagem outra, de participar num mundo que se vai descobrindo e criando simultaneamente.

×
Cadavre Exquis31 Realizadores